Carrinho vazio.

JESUS RELIGIÃO


Não é tão fácil amar de verdade. Isto exige entrega total, serviço e doação. Foi o mandamento novo deixado por Jesus Cristo quando ele disse: "amai-vos uns aos outros, como eu vos amei". Fazei isto, mesmo num mundo que endeusa muito os princípios do individualismo.
Quem ama respeita a dignidade do outro, não discrimina e nem marginaliza ninguém. Luta para que todos tenham vida e as condições para se viver bem. Evita agir com autoritarismo que subordina os mais despidos e com egoísmo individualista.
Continuamos com o tempo da Páscoa. O norte a seguir é a fidelidade ao projeto de Deus, de ação carregada com atitudes de amor, de compromisso, de simplicidade e determinação. É uma entrega de vida de forma livre, mas comprometida com a causa.
O autêntico amor tem sentido de "ágape", isto é, vivido gratuitamente. Ele deve permear a vida de quem vive a Páscoa como tempo de compromisso na convivência. Por aí passa o sentido do testemunho cristão, que atrai e eleva a vida das pessoas.
O amor deve encorajar a vida de todos que procuram ser bem intencionados. Isto faz com que eles valorizem o bem que o outro realiza, soma forças e evita dificultar o caminho dos que conseguem avançar. Ele faz a pessoa passar por cima de muitas tribulações e angústias.
Não é fácil enfrentar conflitos, contra-testemunhos e desgastes na vida. Mas é importante o processo histórico de purificação. Quando assumido com coragem, os frutos serão de alegria e de firmeza na caminhada. O fundamental é não se abater.
Toda voz que anuncia a verdade, incomoda. Foi o que sucedeu com Cristo. Hoje acontece o mesmo, porque o projeto de Deus é exigente, na contramão de uma cultura pouco preocupada com a partilha e a vida com dignidade para todos.
Amar é uma entrega para construir uma humanidade saudável, dando a vida para a construção do Reino de Deus. Aí está o termômetro e o sinal indicativos do seguimento e de fidelidade ao projeto de Jesus Cristo.






TRANSPORTADORA